Dicas práticas e indicações

Aprender Linguagem – Como as interações com o bebê contribuem para o desenvolvimento da linguagem?

13 . June . 2016
Este artigo faz parte da série:

Aprender Linguagem

Como será que as crianças aprendem linguagem? Qual será o caminho para que consigam se comunicar? Como é a aprendizagem das primeiras palavras? E das primeiras frases? Confira nossa nova série de posts sobre o assunto!

Aprender linguagem e ampliar as possibilidades de comunicação  é uma tarefa complexa, realizada cotidianamente em pequenos passos. Em cada fase da vida da criança as conquistas são múltiplas e cabe aos adultos oferecer as oportunidades para que esse processo aconteça da maneira mais favorável possível. A plataforma Aprender Linguagem do Laboratório de Educação nos convida a passear pelos diversos momentos que compõem a aquisição da linguagem, dos 0 aos 5 anos, esclarecendo o que acontece em diferentes situações. O Toda Criança Pode Aprender vai inaugurar, com base nesse material, uma nova série de posts, provocando reflexões sobre elementos que fazem parte da aprendizagem inicial da linguagem. Vamos lá?

Para começar, vamos nos focar nas crianças de 0 a 18 meses. As primeiras experiências e contatos com o mundo, conforme já vimos na nossa série sobre desenvolvimento infantil, serão extremamente importantes e marcantes. Entre essas vivências iniciais, destaca-se o contato com o cuidador principal do bebê, com quem ele possui um laço profundo, construído a partir do afeto do adulto e de sua oferta de proteção e cuidado.

Essas primeiras interações que ocorrem entre o bebê e seu cuidador são fundamentais. Entre os dois, estabelece-se uma díade, ou seja, uma ligação muito forte e consistente a partir da qual as repetições constantes das situações de alimentação, higiene, acolhimento etc. começarão a dar valor comunicativo a olhares, sons e gestos. Essas ocasiões em que o cuidador está cara a cara com a criança num jogo de “ações” e “reações” são chamadas de marcos e se apresentam como oportunidades especiais para que a fala do adulto esteja presente. Há um diálogo em questão que futuramente dará sentido às trocas sociais e à inserção no mundo da linguagem. Vejamos um exemplo:

Essa situações se estabelecerão até que façam parte da rotina do cuidador com o bebê. À medida que as vivências da criança vão sendo integradas às palavras do adulto, o sentido da linguagem se estabelece. Assim, um desconforto desconhecido pouco a pouco será circunscrito como fome, cólica, ou sono, por exemplo. Da mesma maneira, uma sensação boa será traduzida como alegria, animação, bom humor… Mesmo que a criança não possa responder ou se comunicar de modo a ser compreendida socialmente, ela aos poucos irá encontrar gestos, vocalizações e expressões que se repetirão em contextos semelhantes, representando uma intenção. Esse processo chamado verbalização será a primeira etapa para a aquisição da linguagem falada.

Quer saber mais sobre como as crianças começam a se comunicar por meio das palavras? Continue ligado nos próximos posts da nossa série Aprender Linguagem!

Compartilhe
TEMAS
Para poder deixar seu comentário, por favor, identifique-se abaixo.

Posts Relacionados

Outros posts que podem interessar