teste
Não categorizado

Curtas que arrebatam #47 – Quando me sinto só…

Curtas que arrebatam #47 – Quando me sinto só…
Imagem retirada de CGMeetup
16 de Março de 2018..
Este artigo faz parte da série:

Curtas que arrebatam

Confira mais uma seleção de curtas que nos fazem pensar sobre a solidão, um sentimento que acompanha a vida de muitos jeitos, pelo mundo afora e pelo mundo adentro!

Ao longo de nossas trajetórias, muitas lições são aprendidas, seja experimentando momentos felizes, onde tudo faz sentido, mas também quando atravessamos períodos sombrios, mais difíceis e contemplativos. Nessas horas é muito comum que sejamos invadidos pela solidão, onde a nossa imaginação nos leva a pensar que não existe mais ninguém ao nosso lado para seguir em frente.

Permitir-se estar só é tão importante quanto viver as euforias da felicidade, pois isso nos coloca em contato mais íntimo com o que existe dentro de nós, trazendo a oportunidade de percebermos com cuidado aquilo que nos tira o conforto e, assim, de buscar saídas para esse estado.

Selecionamos aqui alguns curtas metragens que nos levam a mergulhar em histórias singelas, cheias de emoção e resistência diante das adversidades. Assista junto aos pequenos a essas 3 animações, com especial atenção para o conteúdo poético e não verbal presente em suas tramas!

Can I Stay? (Posso ficar?)

Uma solitária garota que vive na rua é levada a atravessar a cidade atrás de latinhas de comida que ganham vida, até finalmente chegar numa casa aquecida e aconchegante…

Flow (Fluxo)

Uma jovem de luto faz um amigo inesperado quando um lobo branco a leva através de um misterioso portal, numa jornada para enfrentar o seu sofrimento. Uma breve história sobre a solidão, a dor, a amizade e o amor em um grande fluxo.

Anya

A produtora irlandesa Brown Bag Films criou o curta metragem “Anya” para apoiar a instituição de caridade Para a Rússia Com Amor, organização de Dublin que oferece saúde e educação às crianças russas que são órfãs. A animação acompanha a vida de uma menina recém chegada a um orfanato, numa noite congelante.

Compartilhe
TEMAS
Para poder deixar seu comentário, por favor, identifique-se abaixo.

Posts Relacionados

Outros posts que podem interessar