Dicas Práticas e indicações

Livros que fazem as crianças crescerem #39: questões de gênero

Livros que fazem as crianças crescerem #39: questões de gênero
29 de setembro de 2017..
Este artigo faz parte da série:

Livros que fazem as crianças crescerem

Que tal educar as crianças desde cedo para um mundo marcado pela equidade? E, quem sabe, a literatura não pode contribuir para isso?

Equidade é um substantivo feminino, sinônimo de senso de justiça, imparcialidade, respeito à igualdade. Hoje em dia, colocar em prática a equidade não é tão comum quanto deveria ser. As questões de gênero, por exemplo, ainda existem fortemente em nossa sociedade e, na prática, o mundo “de meninos” e “de meninas” tende a ser recheado de objetos, cores, interesses que parecem servir para integrar apenas um ou outro desses mundos.

Educar para a equidade é algo que começa bem cedo, dentro de casa, na escola de educação infantil e precisa ter continuidade em todos os ambientes frequentados pela criança e em distintos momentos de seu desenvolvimento. Neste sentido, as conversas e a interação com obras literárias que tragam o tema à tona podem contribuir um bocado!

Neste post, selecionamos duas obras, distintas e marcantes, que podem apurar o olhar de adultos e de crianças para esse conjunto de questões.

E é justamente com foco no olhar que apresentamos O menino perfeito. Ele, o menino, nos olha de forma convidativa na capa, acompanhado de seu cachorro. Depois, ao longo das páginas iniciais não nos olha mais; está sempre cabisbaixo ou de olhos fechados. E, mais adiante, volta a nos olhar, num gesto de cumplicidade, por meio do qual espera, talvez, nosso acolhimento, nossa compreensão. Mas quem seria este menino perfeito?

O menino perfeito
Texto e ilustrações de Bernart Cormand
Editora Livros da Matriz

Ele se chama Daniel e cumpre todas as expectativas dos adultos ao seu redor. Realiza sozinho suas tarefas, ajuda em casa, vai “bem” na escola e, pelo que vemos nas imagens, vive no mundo “azul” dos meninos, cor ressaltada em várias das páginas, marcando determinados elementos da cena. Acontece que Daniel guarda um segredo que irá compartilhar com os leitores para que estes tirem, então, suas conclusões, façam as reflexões que desejarem.

E será que Daniel deixa de ser o menino perfeito por ter um segredo? Seu segredo o coloca em outro mundo, que não o “mundo dos meninos”? E que mundo será esse? Talvez, o das crianças curiosas, ávidas por conhecer, explorar, experimentar e que têm um bocado de oportunidades e opções a fazer pela vida, para as quais precisam ser valorizadas e respeitadas.

Imagem interna do livro O menino perfeito

A outra obra selecionada para este post já nos dá algo para pensar desde seu título: Este não é um livro de princesas. Seria, então, para qualquer criança – e adulto também, por que não? – que pode fazer suas escolhas e se sentir especial, sem ter que ser uma princesa, usar coroa e viver em um castelo.

Este não é um livro de princesas
Texto: Blandina Franco
Ilustrações de José Carlos Lollo
Fotos dos bordados: Giacomo Favretto
Editora Peirópolis


Trata-se de um livro com múltiplas possibilidades, algo nitidamente explícito pelas ilustrações: feitas em bordados, a página da esquerda sempre mostra o verso do tecido no qual foi bordado o texto da página anterior.

É um livro que busca quebrar o estereótipo de que meninas precisam ser e viver como princesas. Afinal, nem sempre elas querem ter seus cabelos penteados, nem sempre querem tomar banho e também querem ter o direito de ficar a pensar sobre a vida no beiral de uma janela, deitadas no chão, em cima de uma árvore…

O livro ressalta, sobretudo, que meninas e meninos podem viver a infância, ser crianças e compartilhar das mesmas experiências, brincadeiras e tantas outras opções e que ainda que gostem de ouvir histórias de príncipes e princesas, há vezes em que preferem se identificar com outros personagens, mais aventureiros, mais divertidos.


Por meio destas e de outra obras igualmente potentes podemos ampliar o universo de possibilidades e de conhecimentos das crianças, contribuindo, sim, para que que vivam de forma plena sua infância e cresçam em um mundo de equidade!

Verifique se os livros indicados neste post estão disponíveis em alguma biblioteca próxima a você. Também é possível adquiri-los nos links abaixo:

Compartilhe
TEMAS
Para poder deixar seu comentário, por favor, identifique-se abaixo.

Posts Relacionados

Outros posts que podem interessar
Dicas Práticas e indicações . Desenvolvimento da Linguagem, ...

Livros que fazem as crianças crescerem #41: duas doses de poesia

Campanha do Itaú Social, Leia para uma criança, traz um bocado de poesia para encantar as crianças! ...

Dicas Práticas e indicações . Desenvolvimento da Linguagem, ...

Livros que fazem as crianças crescerem #40: ler para conhecer curiosidades sobre o mundo

Livros que trazem informações e contam curiosidades sobre o mundo social e natural Vale a pena apresentá-los ...

Dicas Práticas e indicações . Leitura, Arte, Cultura e Infância,...

Livros que fazem as crianças crescerem #36: histórias “em capítulos”

Um mergulho numa longa aventura, num universo de fantasia ou num mundo real, mas em outra época e por ...

Dicas Práticas e indicações . Desenvolvimento da Linguagem, ...

Livros que fazem as crianças crescerem #37: histórias dos índios do Brasil

Lendas, mitos e histórias do cotidiano: um pouquinho sobre os povos indígenas brasileiros (mais…)...

Dicas Práticas e indicações . Infância e Sociedade, Leitura, ...

Livros que fazem as crianças crescerem #35: sobre diferença e tolerância

Dois livros bem diferentes e que podem ajudar as crianças a enxergar o outro sob novas perspectivas ...

Dicas Práticas e indicações . Leitura, Arte, Cultura e Infância,...

Livros que fazem as crianças crescerem #34: enviar, receber e entregar correspondências

Carta, envelope, selo, correio, carteiro Nem todas as crianças de hoje em dia sabem o que isso significa ...