teste
Dicas Práticas e indicações

Mas afinal… para que serve o colar de âmbar?

Mas afinal… para que serve o colar de âmbar?
Imagem retirada de Revista Crescer
13 de dezembro de 2017..

Descubra nesse post o que é dito sobre os benefícios e utilidades desse objeto que já faz parte da vida de muitos bebês por aí!

Nos últimos tempos, você talvez tenha notado a presença de um colar de contas amarelo-alaranjado no pescoço de alguns bebês em fase de dentição. Pois bem, para quem se perguntou sobre a sua função e imaginou se tratar apenas de um adereço, se enganou.

O âmbar é uma resina vegetal que se tornou fóssil há 50 milhões de anos, sendo encontrado em grande parte pela região dos países bálticos, no nordeste da Europa. Hoje em dia, já é comercializado para o mundo todo. Tal material contém ácido succínico, um composto químico que fortalece o sistema imunológico, estimula o sistema nervoso e ainda melhora a atividade metabólica do organismo dos pequenos. As pedras de âmbar, quando em contato com a pele, se aquecem e liberam quantidades bem baixas dessa substância no corpo, aliviando dores, inchaços e desconfortos, especialmente quando os dentes começam a despontar e os bebês costumam ter inflamações na gengiva, acompanhadas de febre.

Embora especialistas afirmem não existir nenhum estudo com base científica que comprove a eficácia medicinal do âmbar, o relato de mães e adultos que cuidam ativamente de bebês nesse estágio de desenvolvimento é sempre favorável em relação a ele. Tamara Hiller, parteira profissional, conheceu a tradição do objeto há mais de 15 anos na Alemanha durante seu trabalho como educadora perinatal e comenta: “Já conhecia o colar, mas, como mãe, virei fã. E eu tenho um para mim também”, ressalta em matéria da Revista Crescer.

Vale lembrar que existem alguns cuidados importantes a serem levados em consideração antes de adquirir o produto:

– Testar a sua autenticidade;

– Retirá-lo na hora do banho e antes de dormir;

– Não deixá-lo nem muito frouxo nem muito apertado no pescoço do bebê;

– Notar a aceitação do bebê em relação à peça (se ele tentar arrancá-la ou se incomodar, não é bacana insistir em seu uso);

– O fio deve ter um nó entre as contas, pois desta forma, em caso de rompimento, as demais não caem juntas.

Para saber se o âmbar é verdadeiro, basta pingar duas gotas de acetona ou álcool em uma das pedras e observar a reação que elas provocam. Se ficar pegajosa ou mudar de cor, saiba que não se trata de âmbar. Ele é morno ao toque e não se altera em contato com tais produtos.

Muitos adultos ainda se sentem mais seguros dando duas voltas do colar no tornozelo dos bebês para evitar que se enforquem ou fiquem o colocando na boca. Nesse sentido, o modo de usá-lo fica a critério de cada um, mas de fato é importante ter uma atenção cuidadosa para verificar a interação entre o bebê e seu colar, certificando-se que ele está protegido e adaptado a ele.

E então, o que você achou desse post? Já tinha ouvido falar no colar de âmbar? Deixe seu comentário nos contando a sua experiência com esse interessante objeto!

Compartilhe
TEMAS
Para poder deixar seu comentário, por favor, identifique-se abaixo.

Posts Relacionados

Outros posts que podem interessar