Como as meninas vêm sendo representadas na literatura infantil? | Labedu
Casos e Referências

Como as meninas vêm sendo representadas na literatura infantil?

1 de maio de 2017

Mãe e filha se prontificaram a realizar um experimento que ajudasse a ilustrar essa questão de maneira bastante simples. Confira neste vídeo e se surpreenda com a alternativa que duas autoras deram para transformar esse cenário!

 

De uma prateleira repleta de livros infanto-juvenis com as mais variadas temáticas foram removidos aqueles em que nenhum personagem masculino estivesse presente. Depois, foram retiradas as obras das quais nenhuma personagem feminina fizesse parte. Comparando as duas situações, algo bastante significativo ficou evidente logo de início para as idealizadoras do experimento: enquanto apenas 3 livros não contavam com homens ou meninos em suas histórias, 76 obras nem sequer mencionavam mulheres ou meninas em seus enredos. Seguindo adiante, foram tirados os títulos nos quais as mulheres não falam. E então aqueles que falam somente sobre princesas…

De uma estante antes cheia, restaram pouquíssimos livros, estes narrando histórias sobre mulheres que têm falas e que podem ser algo além de meras donzelas. Essa curiosa experimentação nos conta muitas coisas a respeito de como sociedade vem retratando personagens do gênero feminino. Durante muito tempo, oficialmente, as mulheres não foram reconhecidas em suas atividades, não tiveram voz e foram limitadas em seus comportamentos e possibilidades de ser. Graças a muitas lutas em defesa dos direitos das mulheres, essas condições têm pouco a pouco se transformado e conferido maior espaço e liberdade a elas, ainda que falte um longo caminho para que as diferenças entre os gêneros possam ser totalmente superadas.

Pensando em tudo isso, as escritoras Elena Favilli e Francesca Cavallo se deram conta de que nem uma única história estrelava uma garota que tomasse as rédeas de seu próprio destino, traçando seu caminho sem a ajuda de um príncipe, um irmão ou algum animal de estimação. Então, elas decidiram fazer algo em relação a isso, afirmando que “se você pode ver, você pode ser”. As autoras criaram um livro contando 100 histórias sobre mulheres reais que conquistaram feitos incríveis, apesar de todas as adversidades. Astronautas, chefes de cozinha, pintoras, juízas, jogadoras de tênis, enfim, mulheres extraordinárias que mudaram e têm mudado o curso da história da humanidade com suas grandes proezas em todas as áreas possíveis e imagináveis. “Good Night Stories for Rebel Girls” (ou “Histórias de Boa Noite para Meninas Rebeldes”, em tradução livre) traz essa coletânea inspiradora, ilustrada por outras talentosas mulheres, mostrando que garotas também podem ser o que elas quiserem.

Cada uma de um jeito, com diferentes desejos, sonhos, qualidades, cores, formas, personalidades, revelando as muitas formas de ser mulher no mundo com as quais as meninas podem se identificar. Isso motiva as crianças a buscar dentro de si coragem, originalidade e poder, algo que poderão descobrir no percurso de seu crescimento, reconhecendo o valor dessas personagens do gênero feminino.

Estimular a autoconfiança e o reforço das capacidades individuais das crianças é fundamental para o seu desenvolvimento autêntico, compreendendo que não é por serem meninas ou meninos que necessariamente devem agir de maneira pré-determinada. É preciso que eduquemos para a liberdade, e isso implica em escutar verdadeiramente as diferenças e poder valorizá-las enquanto manifestações desse mundo tão plural e bonito em que vivemos!

Assista ao vídeo na íntegra:

Compartilhe
TEMAS
Para poder deixar seu comentário, por favor, identifique-se abaixo.

Posts Relacionados

Outros posts que podem interessar