fbpx
Dicas Práticas e indicações

O que podemos aprender olhando para as estrelas? Cultivando a relação entre as crianças e a astronomia

O que podemos aprender olhando para as estrelas? Cultivando a relação entre as crianças e a astronomia
foto: Greg Rakozy para Unsplash
23 de dezembro de 2019

Nessas férias, que tal incentivar as crianças a explorar o universo e levá-las a um planetário?

Nas cidades grandes, o hábito de olhar para o céu para ver as estrelas não é comum. Com a alta luminosidade e a poluição urbana, as estrelas ficam menos visíveis. Além disso, os prédios altos também dificultam olhar para cima. Entretanto, esse costume simples pode ser uma porta de entrada para que os pequenos adentrem um universo de conhecimento.

 

Por que ensinar astronomia para crianças?

 

Observar as estrelas, ou “astronomia ao olho nu” é a maneira mais simples de começar a aprender sobre os corpos celestes. Essa atividade desperta a curiosidade das crianças, abrindo uma série de questionamentos sobre o planeta Terra e o universo. Ao estimular essa curiosidade cultivando o hábito da astronomia, os pequenos ganham desde cedo interesse em aprender ciência.

 

Falamos em “hábito” pois se trata de uma atividade recorrente, que envolve perceber as diferentes fases da lua, aprender a identificar constelações e até celebrar ocasiões especiais, como a passagem de um cometa, um eclipse ou uma chuva de meteoros. Ao longo das semanas e meses as crianças aprendem sobre a rotação da terra, sobre a lua, o sol e o sistema solar, como funcionam dia e noite. Aprendem também a fazer muitas novas perguntas sobre o como e por que as coisas acontecem. Afinal, a partir das estrelas, a conversa facilmente se encaminha para falar de gravidade, evolução, o trabalho dos astronautas, para especular sobre como seria a vida em outros planetas. O céu é, literalmente, o limite.

 

A astronomia pode ser uma ferramenta para cultivar a curiosidade natural das crianças e encorajá-las a fazer perguntas e procurar respostas por conta própria, combinando observação e pesquisas na internet, em livros e com os professores. E, nos dias de hoje, separar momentos para ficar apenas observando um céu que parece estar parado também cultiva a paciência, qualidade útil na vida dos pequenos. Também, nada como pensar sobre as questões do universo para ganhar perspectiva sobre nosso planeta, que nos parece enorme mas é pequeno quando olhamos para o universo como um todo. Aprender perspectiva pode colaborar para ampliar o modo de pensar das crianças, enriquecendo seus pontos de vista.

 

Aproveitando que o período de férias vai começar, que tal ir com as crianças no planetário local para começar um novo hábito?

 

Planetários e observatórios no Brasil:

Acre

Planetário Móvel, Centro de Referência de Inovações Educacionais (Crie), Rio Branco

Alagoas
Observatório Genival Leite Lima
Av. Fernandes Lima, s/nº, Maceió

Amapá
Planetário Móvel Maywaka
Museu Sacaca — Av. Feliciano Coelho, 1.509, Macapá

Amazonas
Planetário Digital de Manaus – NEPA/UEA
Av. Djalma Batista, 3578, Flores

Bahia
Observatório Antares
UEFS — R. da Barra, 925, Feira de Santana

Ceará
Planetário Rubens de Azevedo
Centro Dragão do Mar — R. Dragão do Mar, 81, Fortaleza

Distrito Federal
Observatório da UnB
Fazenda Água Limpa, Vargem Bonita, Quadra 17, Brasília

Espírito Santo
Planetário de Vitória
Av. Fernando Ferrari, 514 – Goiabeiras, Vitória

Goiás
Planetário da UFG
UFG — Av. Contorno, 900, Goiânia

Maranhão
Planetário Móvel da Secti
Itinerante
Informações: planetario@secti.ma.gov.br

Mato Grosso do Sul
Clube de Astronomia Carl Sagan
Casa da Ciência UFMS — Cidade Universitária, Campo Grande
Sextas, 19h. Infos: cacarlsagan@gmail.com

Minas Gerais
Planetário do Espaço do Conhecimento UFMG, Belo Horizonte
Praça da Liberdade, 700 – Funcionários

Pará
Centro de Ciências e Planetário do Pará
UEPA — Av. Augusto Montenegro, Km 3, Belém

Paraíba
Planetário da FUNESC
R. Abdias Gomes de Almeida, 800, João Pessoa

Paraná
Observatório Prof. Leonel Moro
Bairro rural de Juruquí, Campo Magro

Pernambuco
Observatório do Alto da Sé
Rua Bispo Coutinho, s/nº, Olinda

Piauí
Planetário da UFPI, Teresina
Campus Universitário Ministro Petrônio Portella, Bairro Ininga

Rio de Janeiro
Observatório do Valongo
UFRJ — Ladeira Pedro Antônio, 43, Rio de Janeiro

Planetário da Gávea
R. Vice-Governador Rubens Berardo, 100,  Rio de Janeiro

Rio Grande do Norte
Planetário de Parnamirim
Pq. Aluízio Alves — Av. Castor Vieira Régis, s/nº, Parnamirim

Rio Grande do Sul
Observatório da UFRGS
Av. Osvaldo Aranha, s/nº, Porto Alegre

Roraima
Planetário Móvel da UFRR
Itinerante
Informações: posfisica@ufrr.br

Santa Catarina
Observatório da UFSC
Campus Reitor João David Ferreira Lima, s/nº, Florianópolis

Sergipe
Planetário da CCTECA
Pq. da Sementeira — Av. Oviêdo Teixeira, 51, Aracaju

São Paulo
Planetário Prof. Aristóteles Orsini
Parque Ibirapuera, São Paulo

Observatório Municipal Jean Nicolini
Estr. do Capricórnio, s/nº, Campinas

Compartilhe
TEMAS
Para poder deixar seu comentário, por favor, identifique-se abaixo.

Posts Relacionados

Outros posts que podem interessar