Pérolas do sertão: “Fundação Casa Grande” – onde a memória e a cultura Kariri são transmitidas pelos pequenos | Labedu
Casos e Referências

Pérolas do sertão: “Fundação Casa Grande” – onde a memória e a cultura Kariri são transmitidas pelos pequenos

Imagem retirada de Blog Fundação Casa Grande.
5 de abril de 2017

Você já imaginou como seria um espaço completamente pensado e gerido por crianças? Pois bem, isso já acontece no interior cearense e é referência nacional em práticas educativas. Leia o post para conhecer mais sobre esse incrível projeto!

Alemberg Quindins e Rosiane Limaverde são os personagens responsáveis pela criação, em 1992, de um grande centro cultural na cidade de Nova Olinda, localizada no Vale do Cariri, sertão cearense. Desde pequenos, eles alimentaram uma forte ligação com a terra, que os encantava com suas histórias, seu povo, suas artes, músicas e uma porção de costumes muito particulares desse cantinho brasileiro. Foi quando se conheceram e descobriram esse gosto em comum, firmando uma feliz parceria que reuniu todo o acervo de objetos e materiais que recolheram ao longo de anos a respeito da cultura Kariri. Conforme Alemberg e Rosiane iam sentindo as carências culturais da cidade, iam repensando e ampliando suas áreas de atuação. Hoje as principais esferas de trabalho dentro da Fundação são a memória, a comunicação, as artes e o turismo.

Em 1998, o prédio da primeira escola da cidade, o Educandário, foi anexado à Fundação, dando origem à Escola da Meninada do Sertão. A Casa Grande teve como importante alicerce a relação com os meninos e meninas que por lá circulavam, dando ouvidos às suas ideias, os convidando a se apropriar e cuidar do espaço. Adultos muito sensíveis foram assimilando tudo isso e elaborando as atividades que as crianças propunham dentro dos laboratórios de produção. Lá, os pequenos passaram a ouvir mitos indígenas sobre o povo Kariri, aprenderam a tocar instrumentos musicais, a fazer roteiros de teatro, produções, filmagens, trabalharam na criação de textos, na locução, efeitos sonoros, visuais etc… Tudo isso para ser transmitido pela TV e pelo rádio que a própria Fundação comporta.

Além do mais, uma biblioteca recheada de livros começou a ser administrada por eles, bem como a Gibiteca, a DVDteca e a CDteca, todas abrangendo exemplares de qualidade, selecionados e até produzidos por meninos e meninas envolvidos nos projetos. A intenção lá dentro não é profissionalizá-los para o trabalho, mas dar a oportunidade de conhecerem e atuarem dentro de universos comunicativos, demandando criatividade, engajamento em algo que os interessa, dando-lhes autonomia e conhecimento para transformarem o seu entorno. Hoje o lugar é praticamente administrado pelos pequenos, desde a recepção até as palestras, oficinas e planejamentos institucionais.

Com as parcerias firmadas com a prefeitura, o governo do Estado e instituições internacionais, são captados os recursos necessários para que o funcionamento da Casa Grande se dê de maneira satisfatória dentro de seu modelo de desenvolvimento. Atualmente, a cidade de Nova Olinda recebe inúmeros turistas e interessados na Fundação, promovendo crescimento e maior arrecadação de fundos, que foram revertidos em melhorias para o município.

Uma iniciativa como essa merece reconhecimento e pode ser tomada como exemplo para o ensino de cidadania, pois convida as crianças a conhecerem a cultura de onde vivem, a disseminarem suas raízes, tradições e reinventarem suas histórias e as maneiras de contá-las através da cultura. Desta forma se está apostando numa educação que valoriza a infância, com o objetivo de proporcionar uma formação interdisciplinar, da qual fazem parte diversas visões acerca do mundo!

Compartilhe
TEMAS
Para poder deixar seu comentário, por favor, identifique-se abaixo.

Posts Relacionados

Outros posts que podem interessar