Motivos para que as crianças brinquem bastante #2 | Labedu
Casos e Referências

Motivos para que as crianças brinquem bastante #2

24 de fevereiro de 2016

Brincar, brincar e… brincar mais um pouco! Mais algumas razões para valorizarmos a brincadeira na infância. 

Justificativas para assegurarmos espaços para o brincar na rotina das crianças não faltam mesmo e, por aqui, costumamos tratar bastante desse tema.  Dando continuidade ao post Motivos para que as crianças brinquem bastante #1, listamos mais 5 desses motivos, totalizando os 11 apresentados pela Revista Crescer.

7. Acaba com o tédio e a tristeza: brincar contribui para a manutenção da saúde emocional, algo confirmado por falas e imagens produzidas por crianças para uma pesquisa realizada pela Universidade de Montreal, no Canadá. “Para elas, brincar é uma oportunidade de experimentar felicidade, combater o tédio, a tristeza, o medo e a solidão.”

8. Incentiva o trabalho em equipe:  brincadeiras e jogos coletivos estimulam a capacidade de se relacionar com os demais, exigindo que a criança pense e atue como parte de um grupo, habilidade fundamental para toda sua vida.

9. Instiga o raciocínio estratégico:  jogos de regras colocam as crianças frente ao desafio de solucionar impasses; elas precisam raciocinar, criar hipóteses, elaborar estratégias, aguardar, analisar a jogada do outro, tomar decisões etc. Atuando desse modo, lida com problemas e aprende a trabalhar com eles e a partir deles; aprende a errar e a aprender com os próprios erros.

10. Promove criatividade e imaginação: uma brincadeira de casinha ou construir um brinquedo com diferentes materiais são algumas das situações em que o brincar desenvolve a criatividade e a imaginação. Para isso, a criança precisa de muito pouco: potes, galhos e folhas secas, retalhos de tecido, caixas… O pouco, aqui, pode virar muito, porque esses materiais não induzem a ideia pronta, finalizada, dando margem à criação.

11.  Estabelece regras e limites: ao brincar, a criança precisa também lidar com regras e limites, seja em relação ao tempo, ao espaço e ao outro, quando a brincadeira é compartilhada. Aprende ainda sobre os próprios limites. É importante que a criança tenha espaço para questionar essas regras, o que permite entendê-las. Isso será fundamental para conviver em sociedade – quando se faz necessário seguir certas convenções, mas também tentar mudar o cenário para melhor, se possível.”

E para saber ainda mais sobre o valor do brincar, acesse aqui, aqui e aqui.

Compartilhe
TEMAS
Para poder deixar seu comentário, por favor, identifique-se abaixo.

Posts Relacionados

Outros posts que podem interessar